terça-feira, 29 de julho de 2008

Tita - Ficou Saudade / Questão de Moral



Como todos devem estar carecas de saber, este ano, a Bossa Nova faz 50 anos. E nosso recém-nascido blog não poderia deixar o ilustre natalício em branco. Então o post de hoje leva até vocês um 78 RPM de uma grande cantora, chamada Tita.

Como grande apreciador e colecionador do gênero em questão, já havia ouvido em outras ocasiões o nome dela, geralmente como compositora. Porém, cruzei com seu único LP, gravado em 1964, pela Polydor, uma só vez, a um custo-padrão de 300 reais. Padrão, pois os LP's de Bossa Nova, atualmente, são os mais caros, especialmente esses, de cantores e conjuntos denominados "cult". Felizmente, tive a sorte de, a um preço bem mais acessível (R$ 2,00), encontrar o 78 que contém duas das faixas de seu álbum. Ambas as músicas são boas, mas a surpresa fica por conta de sua voz; um timbre diferente e suave. E melhor instrumental, é impossível; a cargo de um dos meus maestros preferidos, Lindolfo Gaya.

Tita faz parte de um curioso fenômeno, que teve início justamente em 1964. Neste ano, as gravadoras começaram a lançar discos de cantoras de bossa nova desconhecidas e que tinham um ponto em comum: geralmente um nome só ou apenas nomes compostos, sem sobrenome. Assim, vieram à tona a nossa Tita, Wanda, Lita, Luiza, Flora, Lygia, Yvette, Nara, Dina Lúcia, Ana Margarida, Maria Lúcia. E outras foram relançadas, já com o novo rótulo, como Ana Lúcia, Márcia e mesmo Elis Regina. Muitas não resistiram à onda. Algumas adotaram o sobrenome e até mudaram os rumos da música. Mas isto já é assunto pra outro post.

Não tenho foto ou qualquer dado biográfico a respeito da Tita. Alguém saberia por onde ela anda?






Nenhum comentário: