quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Un gran hermano entre nosotros


Sou suspeito para falar de Pedro Vargas, porque me encantam sua voz e seus boleros. Mas fiquei mesmo muito admirado de ouvi-lo cantar música brasileira, num raríssimo 78 rpm. Não tenho a data das gravações do disco, mas pela numeração das matrizes, as duas músicas foram gravadas entre 29/11/1939 e 14/12/1939, ou até mesmo em um desses dois dias, para o carnaval de 1940.

Não foi a primeira vez em que este ídolo cantou música brasileira em terras tupiniquins. Em 1936, ele gravou com Olga Praguer Coelho um disco na RCA Victor. Participou, em 1940, do filme Laranja da China, da Sonofilmes, cantando “Aquarela do Brasil”. Em 1977, ele deu-nos um repeteco, gravando com Sílvio Caldas um LP ao vivo, no Canecão (RJ), intitulado Silvio Caldas e Pedro Vargas - gravado ao vivo no canecão.

Nascido em San Miguel de Allende, México, em 1909 (ano mágico!), este fabuloso cantor pôde comemorar 50 anos de carreira com um curriculum enorme de filmes, apresentações na televisão e discos nos formatos 78 e 33 rpm. Faleceu em 1989.

O disco abaixo traz, de um lado, a marcha “Volta, meu amor”, de Ary Barroso e, do outro, “Linda morena”, de Gonzalo Curiel. Atentem para o coro da RCA Victor, cujo sotaque contrasta com o espanhol aportuguesado de Pedro.



Um comentário:

blog do girino disse...

meu deus..isso foi fascinante. o pedro vargas..brigado.