quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Dalva & Tom

Hoje o Chiadofone lhe traz um presente duplo: Dalva de Oliveira em quatro músicas regidas pela Orquestra de Antônio Carlos Jobim, em matrizes de 1955 e de 1957.

Em comum, as quatro gravações trazem o tema do sofrimento amoroso, uma temática muito freqüente na MPB desde o final dos anos 30. Na esteira de Odete Amaral e da Aracy de Almeida dos anos 40, Dalva de Oliveira representa o ponto mais alto de uma tradição oposta ao ideário carnavalesco e, embora tenha gravado alguns dos melhores sambas dos anos 50, destacou-se também nos sambas-canção, no tango e no bolero.

A crítica musical dos anos 70 e 80 rechaçou este repertório passional como “fossa” e “dor-de-cotovelo”, integrando o repertório da chamada “geração do não” (de que posso citar muito do que gravou Maysa, Dolores Duran, Dalva e Ângela Maria). É um tipo de produção que rivaliza com a suavidade da bossa nova e, no que concerne aos temas, antecipa as canções da Jovem Guarda. No tropicalismo, as canções de fossa receberam tratamento de tradição antiquada, “careta” e alienada, assim como muitos dos intérpretes, que tiveram de reciclar-se para continuar subsistindo no cenário musical. Daí, por exemplo, Dalva de Oliveira voltar ao samba e os Mutantes terem gravado a versão horripilante de “Bom dia” no mesmo ano, 1968.

Talvez por conta deste ostracismo, que tem muito que ver com o nascimento da cultura jovem e de ritmos como o rock e a bossa nova, a produção do Tom Jobim antes de 1958 seja quase desconhecida do público atual.

Dalva interpreta, de Marino Pinto e Mario Rossi, “Não pôde ser”, samba-canção de extrema delicadeza e sentimento, seguido de “Eterna saudade” (Genival Melo e Luiz Dantas), registradas no 78 rpm Odeon 13.906 (1955). Em seguida, de Lupicínio Rodrigues, o samba-canção “Há um deus” e o bolero “Serei só tua” (Rômulo Paes e Nelson Scheffick), registrados no Odeon 14.259 (1957). Para ouvir com os ouvidos e com o coração.




2 comentários:

thiago mello disse...

Maravilhoso! Parabéns pelo trabalho, e muito obrigado por postar estas preciosidades. Um grande abraço!

vidamary disse...

ola....ha mais de um ano procuro esta musica ne net..meus pais hoje com mais e 70 anos,ouviram esta musica no dia do seu casamento..minha mae ha muito me pedia para encontra-la...que felicidadde ao ouvi-la ...minha mae chorou emocionada...muito obrigado!!!!!
mais uma coisa..tem como copia-la par meus arquivos?


um forte abraço...aguardo resposta
viviane