domingo, 25 de janeiro de 2009

Elza Laranjeira - A Noite do Meu Bem / Estou Amando Azul

Hoje, em mais um passo da nossa incansável cruzada em prol da música paulista, levamos a vocês uma das mais fulgurantes estrelas da nossa querida cidade: Elza Laranjeira.


Elza Laranjeira, ao fundo, Neyde Fraga

Talvez vocês estejam se perguntando: por que essa predilção pelos artistas paulistas? Historicamente, a música dos dois grandes polos (Rio e São Paulo) sempre foi muito independente, cada qual com seus próprios astros e estrelas, apesar do amigável intercâmbio entre elas. Mas a principal diferença tinha um nome: Rádio Nacional. O Rio tinha seu favor esse poderoso meio de comunicação, que cobria todo o Brasil e muitos países até fora da América. Assim, enquanto os astros cariocas eram venerados mundo afora, o rádio e a TV paulistanos criavam apenas fenômenos locais, com algums exceções, como Isaurinha Garcia.

Podemos até considerar Elza Laranjeira um (ligeiro) fenômeno nacional, visto que em 1959 sua interpretação de "Eu Sei Que Vou Te Amar" ganhou as paradas de todo o país.

Natural de Bauru, enveredou-se pela carreira do magistério, sem nunca abandonar a música. Cantava nas rádios locais da sua cidade. Em 1945, muda para São Paulo, onde é contratada pela Rádio Record. Se o Rio de Janeiro tinha a Rádio Nacional, São Paulo tinha a Rádio e TV Record, chamada simplesmente de "A Maior". E Elza foi por quase 20 anos a maior estrela da Record, num time a que pertenciam Neyde Fraga, Esterzinha de Souza, Cinderela, Dircinha Costa, Marita Luizi, Isaura Garcia, Luely Figueiró, Bianca Bellini e tantas outras. Difícil imperar num time respeitável como esse, não?

Nese disco que levamos até vocês, Elza nos dá duas de suas melhores interpretações. No lado A, temos a clássico "A Noite do Meu Bem". Considerada uma das melhores intérpretes de Dolores Duran, sua interpretação para esta canção mereceu elogios rasgados da crítica da época. Os contracantos que faz com a sua própria voz criaram um efeito muito singular e, mais uma vez, sua voz tomou as rádios do país.

O lado B trará a todos uma incrível supresa. "Estou Amando Azul" é de uma beleza extremamente singela, quase comovente. Sua gravação deixa evidente a sua incrível classe ao cantar e, assim entendemos o porque de sua grande popularidade pelas ondas da Record ou nas melhores boates da noite de Sâo Paulo. E, só para terminar, ambas as músicas tem as mãos do gênio Enrico Simonetti.

Termino esse post com a sensação de que o texto não ficou à altura do que merecia Elza. É difícil falar das intérpretes que mais se gosta... E é por isso que, brevemente, será revisitada, com mais detalhes de sua biografia. Enquanto isso, fiquem com a voz-doçura da nossa música.





2 comentários:

Alexandre Montenegro disse...

elza laranjeira é mesmo demais!

vc tem alguma coisa tb da elisinha coelho?

estava ouvindo esses dias o disco da carmina juarez no qual ela presta uma homenagem a essa cantora que era chamada de "pássaro cantador" pelo ary barroso.

só que nunca consegui ouvir nada da elisinha mesmo. apesar da carmina ser uma intérprete de prima, fico curioso pra ouvir as versões originais tb.

abraço

DjalmaCM disse...

Alexandre,
vou lhe responder pois o Gabriel não deve ter visto seu comentário. Aliás, vi e li todos, obrigado pelo apoio e pelos elogios!
Adoro atender aos pedidos dos leitores, o seu já está anotado. Tenho boa parte dos discos da Elisa Coelho (nove, do total de quinze discos que ela gravou) e em breve publicarei vários aqui. Já lhe adianto que não terei fotos boas da Elisa, por isso capricharei nos discos... ;)
Abraços!